quinta-feira, 26 de julho de 2012

Sofrimento


"O sofrimento pode ser o caminho através do qual chegamos às nossas verdades."
A estrada pela qual chegamos à maturidade atravessa, necessariamente, a escuridão e a solidão. A escuridão, porque sofrer implica perder as referências, desdenhar das explicações, questionar os clichês e aventurar perguntas. A escuridão é o momento quando não caminhamos porque vemos, mas porque intuímos, recordamos e temos fé. Intuímos o rumo certo pelo tanto que já caminhamos, recordamos as experiências aprendidas em momentos semelhantes no passado e andamos por fé, que supera as trevas, prescinde de explicações e transcende as certezas.
A solidão é imprescindível na trilha do sofrimento. A dor pode ser compartilhada, mas jamais transferida. Pode ser percebida, mas não capturada. Pode até ser escondida, mas nunca suprimida. Quem sofre, sofre sempre em solidão. Não necessariamente porque lhe falta boa e providencial companhia, mas porque todo sofrimento pessoal, em sua dimensão mais profunda e essencial, é intransferível. O sofrimento tem sua realidade particular, e não pode ser diferente: cada um sofre por uma razão, é vitimado em áreas distintas, por motivos diversos e com respostas as mais variadas, num dégradé de resiliência que vai da meninice do chororô ao heroísmo quase estóico, incluído entre os tons das cores a grandeza da fé, resignada e esperançosa, e por isso engajada e mobilizadora.
O sofrimento desperta para o ético e o estético. Convoca virtudes adormecidas a que subam ao palco: coragem, perseverança, paciência, honradez, respeito à vida. Possibilita o lapidar do caráter, apara arestas, harmoniza as formas, faz irromper a beleza escondida na frieza do coração. O sofrimento quebranta orgulhosos, vaidosos e prepotentes, faz desmoronar intransigentes, legalistas e moralistas. Como o martelo do escultor, retira os excessos da pedra e dá à luz o belo, o sublime, o deslumbrante.
Quem sofre descobre seus limites, identifica verdadeiras amizades, vislumbra novos horizontes, abre a mente para novas verdades e o coração para novos amores. O sofrimento produz compaixão, evoca misericórdia, gera solidariedade. O sofrimento cria caminhos para arrependimentos e confissões, subverte juízos e sentenças, possibilita aproximações e reconciliações.
O sofrimento coloca homens, mulheres, velhos e crianças, de joelhos. Faz com que os olhos procurem os céus. Dilata a alma para o mistério, conclama o espírito para o inefável, inspira poesias e canções, faz surgir nos lábios o perfeito louvor. Quem sofre aprende a perdoar e pedir perdão. Ganha a oportunidade de colocar o rosto no chão, em clamor e oração. O sofredor jamais chora em vão. Deus habita também a sombra e a escuridão.
O sofrimento é o ônus do viver, o custo do amor, a paga pelo crescimento, o preço da maturidade. Viver é muito perigoso, já dizia Guimarães. Amar é muito precioso. Crescer é muito doloroso. Amadurecer é muito custoso. Crer é coisa de teimoso. O sofrimento diminui o poder da morte, dissolve a crueldade da indiferença, envergonha a pequenez da alma, desmascara o mundo de mentirinha da ingênua infância, quebra a maldição da incredulidade. Aceitar a realidade e inevitabilidade do sofrimento é escolher a vida, decidir amar, optar pela plenitude, apostar na fé.
Acesse mais:

terça-feira, 24 de julho de 2012


Tutorial Blender 3D - Câmera Animada

Vamos criar aqui uma pequena cena  e fazer uma animação de câmera. 

Pré-requisitos: Você deve ter conhecimento  da interface do Blender.


(Obs.: Este tutorial foi criado com a versão Blender 2.63)

Neste tutorial vamos usar materiais, Insert Kay, hdr para criar o ambiente.
Baixe o arquivo hdr aqui.



Nossa animação ficará assim.




Inicie o Blender, crie um New File e Salvar Como "minha câmera animada".

Clique em Add>Mesh>UVsphere. Com o objeto selecionado clique em Set smoot.
Fig. 01


Fig 1a


Adicionando o  Material: Clique em Add New. Eu usei a cor azul mas você pode escolher a cor da sua preferencia. Vamos adicionar transparencia e reflexos. Configure como mostra a imagem abaixo (fig. 02)

(Fig. 02)




Aqui (fig. 03)será configurado a transparência e reflexos da esfera. Ative os botões Transparency e Mirror.

Fig 03

Em Transparency e Mirror faça esta configuração (Fig. 04)

Fig. 04

Agora que o material foi configurado, clique Shift+D e duplique até obter 5 ou 6 esferas. Localize em frente a câmera deixando algo parecido como mostra a Fig 05.Todas terão o mesmo material.

Fig. 05


(O importante é que as esferas fiquem localizadas sempre na frente da câmera o maior tempo possível quando esta for animada)


Distância entre a câmera e as esferas. (Fig. 06)

Fig. 06

  Antes de iniciarmos a configurar nossa animação vamos aplicar o nosso mapa hdr (High Dinamic Range). Descompacte o arquivo usando o WinRar ou outro programa semelhante. Clique em World button (Fig. 07) Clique em Open e abra o nosso hdr (ufiziprobe.hdr). 


Fig 07


 depois em Texture buttons. Escolha Image or Movie (Fig. 08) 


Fig. 08

 Clique em Open (Fig. 09) e abra o nosso hdr (ufiziprobe.hdr). 

Fig. 09








Selecione World (Fig. 10)
g. 10


Em Image Mapping e Mapping deixe esta configuração (Fig. 11).

Fig.11


Agora vamos começar a nossa animação.

Localize a câmera como na Fig. 06
Clique em Render Button (a camerazinha).

Fig. 12


Na visão de Top selecione a câmera e  clique  I key para acessar o menu Insert Keiframe. Ou clique em Object>Animation>Insert keyframe (fig. 13).

Fig. 13
Na janela selecione LocRotScale

Fig. 14
Na Timeline deixe como está em frame número 1 (um).  Dê dois cliques com o botão esquerdo do mause em End digite 200. Este é o número máximo de frames (o mesmo que quadros de animação) que a nossa animação terá
(Fig. 15).


Fig. 15

A nossa câmera está localizada no frame 01. É o primeiro quadro da nossa animação (Fig. 16)

Fig. 16



Agora em Display current frame clique duas vezes (mause button esquerdo) e digite 100. Então posicione a câmera como mostra a Fig. 17
OBS.: Posicione a câmera só depois que tiver escolhido em que frame ela ficará. 

Fig. 17


Faça o mesmo digitando 200 em Display Current frame e posicione a câmera como mostra a ilustração (Fig. 18).

Fig. 18



Antes de renderizarmos nossa animação vamos ainda adicionar mais algumas luzes. Para isto apenas selecione a luz point já presente na cena e basta ir duplicando com Shift+D.  Eu usei 4 lamps point (Fig. 19)



Agora precisamos de um formato antes de renderizarmos nossa primeira animação de câmera. Escolha AVI jpeg (Fig 20)

Fig. 20
Escolha  a pasta onde vai salvar sua animação clicando em Output (Fig. 21).

Fig. 22

 Agora clique  no botão Animação. Pronto, agora é só esperar até que a cena seja renderizada. O tempo depende muito da sua máquina. Enquanto isso vá tomar um café bem quentinho e dar um repouso ao cérebro, afinal não somos de aço!! (Fig 23).

Fig. 23